Alemanha prolonga quarentena até maio, mas prevê reabertura gradual

A Alemanha prolongou até o dia 3 de maio as medidas de distanciamento social e restrição de contato devido à pandemia do novo coronavírus. No entanto, o país prevê uma reabertura gradual da vida pública, escolar e comercial.

A chanceler Angela Merkel e governantes regionais concordaram em retomar o calendário escolar de forma escalonada em 4 de maio, assim como a reabertura dos estabelecimentos comerciais de até 800 metros quadrados. O governo recomenda usar máscaras na rua.

“Tivemos sucesso, mas ainda é parcial e frágil”, afirmou Merkel, em alusão à diminuição dos contágios e à quantidade de pacientes recuperados. Ela ressaltou que é necessário manter restrições que “envolvem mudanças no estilo de vida e sacrifícios”.

A retomada de algumas atividades começará já na próxima segunda-feira, coincidindo com o fim do recesso da Semana Santa, como a reabertura de bibliotecas, arquivos e museus.

A atividade escolar ainda demorará algumas para ser retomada, e de forma gradual, começando pelos alunos dos últimos anos primários e secundários.

Está mantida a proibição de reuniões ou saídas em grupos com mais de duas pessoas, ampliável a mais membros para os que vivem juntos. A regra geral é manter uma distância mínima de 1,5 metro, o que não impede a prática individual de exercícios ao ar livre.

Restaurantes, teatros e casas de shows também continuarão fechados. Celebrações religiosas seguem proibidas.

Permanece a recomendação de não fazer viagens particulares, mesmo que por razões familiares. Não estão proibidas, mas devem ser evitadas.

Todas essas medidas são gerais, mas cabe a cada estado implementá-las, de acordo com o critério dos governos regionais e com os números locais da pandemia.

A Alemanha é o quinto país do mundo em número de casos confirmados de Covid-19, atrás de Estados Unidos, Espanha, Itália e França. Segundo o Instituto Robert Kosh, o número total de contágios é de 127.584, dos quais 72.600 já se recuperaram e 3.254 morreram.

* Com EFE