Argentina prolonga isolamento social obrigatório até 26 de abril

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou na sexta-feira (10) a prorrogação do isolamento social por mais duas semanas, se estendendo até o dia 26 de abril. O objetivo é “abrandar a velocidade de contágio” do novo coronavírus e “garantir que o sistema de saúde pode comportar os que forem infectados”.

“Decidimos seguir com a quarentena exatamente nos mesmos termos nas grandes cidades e grandes centros urbanos”, declarou o mandatário.

A Argentina está em quarentena total desde 20 de março e registra 1.975 casos confirmados da covid-19, dos quais 82 morreram, segundo o último balanço do Ministério da Saúde.

O presidente esclareceu que, a partir deste sábado (11), os governadores provinciais poderão apresentar propostas para flexibilizar as restrições que não tenham casos confirmados. Posteriormente, o governo federal analisará “onde a abertura da quarentena pode ser focalizada”.

“Nesta segunda fase da quarentena, vamos nos concentrar em lugares e atividades onde a quarentena pode ser, de alguma forma, liberada. Temos de ouvir os casos de comunidades que podem continuar a funcionar sem se ligar a outras e quais atividades podem ser retomadas”, disse Fernández.

A maioria dos casos do coronavírus se concentra nos grandes centros urbanos do país, incluindo as cidades de Buenos Aires e a zona urbana populosa que a rodeia, Córdoba, Rosário, Santa Fé, Mendoza e San Miguel de Tucumán.

*Com informações da EFE