Bolsonaro critica Maia: ‘Parece que quer me tirar do governo’

Na noite desta quinta-feira (16), Jair Bolsonaro teceu críticas ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). A relação entre os dois anda instável já há algumas semanas, e piorou depois que o governo rejeitou a proposta de socorro aos estados e municípios aprovada pelo Parlamento.

“Lamento a posição do Maia que resolveu assumir o papel do Executivo, com ataques bastante contundentes à nossa posição. Ele é o chefe do Legislativo, respeito ele, mas tem que me respeitar também”, afirmou o presidente à CNN. “O sentimento que tenho é que ele não quer amenizar os problemas, mas sim atacar o governo federal. Parece que a intenção é me tirar do governo”, continuou Bolsonaro.

A proposta da Câmara oferece uma espécie de compensação aos estados e municípios pelas perdas de arrecadação. O texto, no entanto, não agradou o ministro da Economia, Paulo Guedes, pois segundo o governo, poderia afetar os cofres públicos em até R$ 222 bilhões. Guedes sugeriu, então, um acordo para transferir até R$ 40 bilhões de recursos diretos para os governadores e prefeitos, que teriam de suspender por dois anos os reajustes salariais dos seus servidores públicos.

“O Guedes queria uma contrapartida, a Câmara não quis”, explicou Bolsonaro. O presidente voltou também a criticar as medidas de restrição impostas pelos estados. “Cada governador tem seu plano, fecha todo o comércio e manda a conta para o contribuinte pagar. Apelo para o Parlamento, governadores, prefeitos, o Brasil vai quebrar nessa situação. Que seja uma proposta justa”, pediu.