Ação civil pública foi ajuizada nesta segunda-feira (29).

Ato em memória dos 233 mortos em Brumadinho. A tragédia completa 3 meses nesta quinta (25). — Foto: Ramon Bitencourt/O Tempo/Estadão Conteúdo
Ato em memória dos 233 mortos em Brumadinho. A tragédia completa 3 meses nesta quinta (25). — Foto: Ramon Bitencourt/O Tempo/Estadão Conteúdo

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou que acionou a Vale por danos socioeconômicos provocados pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o órgão, um dos pedidos contidos na ação civil pública, ajuizada nesta segunda-feira (29), é para antecipação de indenização no valor de R$ 30 mil aos atingidos pela tragédia.

A barragem se rompeu no dia 25 de janeiro. De acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil, 233 mortes já foram confirmadas e 37 pessoas seguem desaparecidas.

O MPMG ainda pede na ação o fornecimento de água potável à população e a contratação de técnicos independentes para a elaboração de um diagnóstico socioeconômico e um plano de reparação de danos.

Segundo o Ministério Público, mais detalhes sobre a ação serão divulgados durante uma entrevista coletiva nesta tarde.

Até a publicação desta reportagem, a Vale ainda não havia se posicionado.