Câmara de São Paulo deve aprovar liberação de R$ 38 milhões para saúde

A Câmara de São Paulo destinará R$ 38 milhões à Prefeitura Municipal para as áreas da Saúde e Assistência Social. O projeto teve aprovação pelos vereadores, mas ainda passará por uma segunda votação por pedido do presidente da Casa, Eduardo Tuma.

O Legislativo decidiu também adiar a discussão da prorrogação do IPTU, ISS e ITBI, por 180 dias, bem como da suspensão de todas as de taxas municipais por 120 dias.

O projeto recebeu críticas do prefeito Bruno Covas e o líder do Governo, Fábio Riva, do PSDB, pretende rediscutir com os vereadores o impacto da proposta.

“Apresentar na próxima semana para os vereadores uma minuta mais de acordo com aquilo que é a vontade dos vereadores.”

Mas por unanimidade, de maneira virtual, os 55 parlamentares aprovaram o repasse do fundo legislativo, de R$ 38 milhões, ao município. O vereador Reis do PT, ressalta as dificuldades dos profissionais da Saúde.

“Os hospitais da Prefeitura estão passando por muitas dificuldades, o próprio corpo técnico, médicos e enfermeiros, todos os profissionais de saúde estão passando por muitas dificuldades.”

Oposição mesmo somente com a data da segunda votação do projeto, inicialmente convocada pelo presidente Eduardo Tuma para sexta-feira (10), mas questionada pelo vereador Milton Leite, do DEM.

“Já fica o meu protesto. Eu não participarei de votação na sexta-feira santa, ainda que seja virtual. Pode ser o dia que você quiser, mas não em sexta-feira santa.”

O presidente Eduardo Tuma vai deliberar com os vereadores a data da segunda votação, que autoriza o repasse da verba de 38 milhões de reais à prefeitura.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos