Chile cria cartão para identificar pacientes curados da Covid-19

O Ministério da Saúde do Chile anunciou nesta quinta-feira (16), que a partir da próxima segunda, começará a distribuição do chamado “cartão Covid”, que permitirá identificar pessoas que superaram o coronavírus ou foram imunizadas.

“Vamos começar a entrega do cartão Covid, um instrumento que identifica pessoas que já tiveram a infecção pelo coronavírus e são imunes à reinfecção e também não são capazes de transmitir essa doença a outras pessoas”, disse o ministro Jaime Mañalich, durante entrevista coletiva.

O cartão será distribuído para aqueles que superaram a doença após 14 dias de apresentar os primeiros sintomas, e também a quem tiver tido alta mesmo uma semana após de deixarem o hospital, explicou o ministro.

As pessoas que passaram o vírus de forma assintomática após terem entrado em contato com pacientes infectados com o coronavírus, como profissionais de saúde, também podem solicitar a identificação, exigindo a detecção de anticorpos no sangue (imunoglobulina G) por meio de um teste.

“Pode haver casos em que a pessoa possa ser infectada novamente, mas, à luz das evidências, a imunidade que a doença por coronavírus produz pode durar muito tempo”, disse Mañalich.

O Ministério da Saúde também informou que, nas últimas 24 horas, foram registradas 11 novas mortes por Covid-19 e 534 contágios, os piores dados desde o início da pandemia no país, elevando o número total para 8.807 casos e 105 óbitos.

Desde que o primeiro caso foi detectado no país, em 3 de março, 3,2 mil pessoas já se recuperaram e atualmente existem 313 pacientes com ventilação mecânica, dos quais 90 estão em estado “crítico”, afirmou o subsecretário de Redes Assistenciais, Arturo Zúñiga.

De acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde, cerca de 98.424 testes foram realizados em todo o país desde o início do surto, dos quais 6.551 foram feitos as últimas 24 horas.

*Com informações da EFE