Com pandemia, venda de veículos novos despenca; volume remete a 2006

O coronavírus paralisou o setor automotivo nesse início de 2020. Com fábricas e concessionárias fechadas, os números de março começam a revelar o tamanho do estrago.

As vendas de veículos novos caíram 22% — para 163 mil carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O volume remete ao ano de 2006.

A Fenabrave, federação que reúne as revendedoras no país, ressalta que mesmo sobre fevereiro, com menos dias úteis e o Carnaval, os emplacamentos também recuaram 18,5%. O movimento acentuado derruba o balanço do trimestre em 8% sobre 2019, com 558 mil unidades.

A pandemia do coronavírus começou a afetar o comércio de veículos na segunda quinzena de março. No início, a média diária das vendas de carros era de 10 mil unidades e, no fechamento do mês, baixou para 7 mil. O período coincide com a quarentena determinada em vários estados, incluindo São Paulo.

O setor trabalhava com alta de 10% nas vendas em 2020 e agora prevê baixa, mas ainda sem estimativas possíveis.

O segmento de carros e comerciais leves, 95% do mercado, registrou queda de 22% em março. Já o mercado de caminhões reduziu em 15%, com 6 mil emplacamentos.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos