Comitê demonstra preocupação com barragens na região da bacia do Rio Das Velhas

Barragens abandonadas em Rio Acima estão a 2km do leito do rio; quatro barragens da Vale estão nas proximidades de área de captação.

Barragens abandonadas da Mundo Mineração em Rio Acima, na Grande BH, tem a classificação de risco mais alta no cadastro da ANM — Foto: Humberto Trajano/G1

Barragens abandonadas da Mundo Mineração em Rio Acima, na Grande BH, tem a classificação de risco mais alta no cadastro da ANM — Foto: Humberto Trajano

Uma reunião do Comitê da Bacia Hidrográfica Rio das Velhas discutiu na manhã desta segunda-feira (22) a situação das barragens de rejeito de mineração na região da bacia. O Rio das Velhas abastece cerca de um terço da população da capital mineira e é um dos afluentes do Rio São Francisco.

Segundo o presidente do comitê, Marcus Vinicius Polignano, a situação das barragens da Vale de Forquilha I, II, III, Vargem Grande , Maravilhas I, aumenta ainda mais a preocupação com o Rio das Velhas.

“Nós estamos com pelo menos quatro barragens com alto risco de rompimento, o que significa dizer que se isso ocorrer, nós vamos ter o comprometimento das águas do Rio das Velhas, especialmente no ponto de captação de Bela Fama. Bela Fama é onde se retira praticamente 60% da água de Belo Horizonte. ”

Técnicos da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) apresentaram a situação das barragens da bacia e das auditorias de segurança. Representantes da Copasa falaram sobre a situação das barragens 1 e 2 da Mina Engenho, que pertence à Mundo Novo Mineração, que encerrou suas atividades em 2011. Elas ficam a 2km da calha do Rio das Velhas e aparecem na lista da Agência Nacional de Mineração com risco alto e elevado dano potencial.

Toda a bacia hidrográfica do Rio das Velhas está localizada na Região Central de Minas Gerais. Com 801 km, o Rio das Velhas é o maior afluente em extensão da bacia Rio São Francisco. A população da bacia do Velhas, estimada em 4.406.190 milhões de habitantes está distribuída nos 51 municípios cortados pelo rio e seus afluentes.

Barragens da Mina do Engenho, em Rio Acima — Foto: Karina Almeida/G1

Barragens da Mina do Engenho, em Rio Acima — Foto: Karina Almeida