Covas negocia com Doria flexibilização do isolamento na cidade de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo está tentando negociar com o governo do Estado a flexibilização da quarentena na cidade a partir do dia 1º de junho. Nesta quarta-feira, a gestão Doria deve anunciar como serão os próximos passos da política de isolamento contra a pandemia.

Segundo o prefeito da capital, os índices exigidos para a retomada gradual das atividades na próxima segunda-feira não são aplicáveis para a cidade de São Paulo. Bruno Covas citou, por exemplo, que a cidade não conseguirá registrar apenas 60% de ocupação de leitos de UTI.

O secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, anunciou um aumento no número de testes para a doença. Segundo ele, 90 mil profissionais da saúde da capital serão examinados mesmo sem apresentarem sintomas.

O secretário disse, ainda, que apesar do grande número de coronavírus na cidade, São Paulo não deve enfrentar um colapso no sistema de saúde. De acordo com Edson Aparecido, o crescimento de casos da doença na capital está estabilizado.

Também nesta segunda-feira, o tucano inaugurou 10 novos leitos no Hospital do Servidor Público Municipal. Com a inauguração, São Paulo passou a ter 1.007 leitos de UTI exclusivamente dedicados ao combate à covid-19.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini