Doações para combate da pandemia ultrapassam R$ 1 bilhão e aliviam sofrimento em favelas

Na maior mobilização da história recente do país por uma causa, doações para o enfrentamento do coronavírus chegam a marca de R$ 1 bilhão. O cálculo é da Associação Brasileira de Captadores de Recursos.

Empresas, ONGs, entidades e a sociedade civil se engajaram para possibilitar ajuda, garantia e proteção à ações de saúde, geração de renda e emprego. O diretor da ABCR, João Paulo Vergueiro, ressalta a importância da generosidade num momento tão importante como esse da pandemia.

“É a primeira vez na história que chegamos em um número tão grande em tão pouco tempo em um ato de generosidade. Além da saúde, falamos de ação de renda, desigualdade social, cultura, educação. Uma série de espaços que precisam ser apoiadas  apoiadas. A gente mostra que o brasileiro está fazendo a diferença.”

A ABCR considera apenas doações públicas e com o valor em reais divulgado.

Muitas das campanhas de financiamento coletivo destinam os recursos arrecadados para apoiar comunidades e bairros periféricos. Na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, moradores têm recebido alimentos, itens de higiene e produtos de limpeza.

Fundadora de uma ONG, Samantha destaca a importância de ajudar os mais atingidos pela pandemia. “Muitas pessoas que trabalham por conta própria perderam a sua renda.”

Um fundo emergencial criado pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, junto com o movimento bem maior e a plataforma bsocial, já recebeu mais de R$ 2,5 milhões em doações.

Os recursos são encaminhados à Fiocruz, ao Hospital Santa Marcelina e à Santa Casa de São Paulo. Para a diretora-presidente do IDIS, Paula Fabiani, apoiar essas instituições irá fazer a diferença nos atendimentos dos mais vulneráveis.

Para doar para o fundo é só acessar o endereço www.bsocial.com.br/fundosaude.

Mundo

Pelo mundo, as ações de generosidade também se estendem. Nos Estados Unidos, o cofundador do Twitter, Jack Dorsey, anunciou que vai doar US$ 1 bilhão para o combate ao coronavírus. A quantia representa 28% da fortuna do empresário.

Além dele, Jeff Bezos, CEO da Amazon, doou US$ 100 milhões e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, doou US$ 30 milhões.

*Com informações do repórter Vinícius Moura