Especialista destaca a importância da vitamina D durante a pandemia


Isolamento social impõe barreiras na reposição vitamínica no organismo por meio da exposição ao Sol A lista de benefícios é extensa. Afinal, a vitamina D é um nutriente essencial para a manutenção da saúde dos ossos e a regulação do crescimento e do sistema imunológico, como também cardiovascular. Ela também auxilia no metabolismo e apresenta diversas outras vantagens para o corpo. E o melhor: pode ser absorvida de forma gratuita e natural, apenas se expondo por alguns minutos ao sol. O problema é que, por conta do isolamento social, imposto pela pandemia do novo coronavírus, para muitas pessoas a rotina de exposição aos raios solares tem diminuído.

O alerta é da Dra. Lilian Lopes (CRN6 6220), nutricionista do Sistema Hapvida, que destaca ainda que a deficiência da vitamina D pode ser percebida por vários sintomas, como a sensação de fadiga e cansaço constante. “Em relação à imunidade, as pessoas ficam mais propensas a doenças e infecções, já que a vitamina atua no fortalecimento do sistema imune. Tem também a queda de cabelo e a questão óssea, associadas à retenção do cálcio”, diz ela, complementando ainda que, de acordo com estudos recentes, a falta desse nutriente pode agravar até mesmo o quadro depressivo do indivíduo.

Pensando nos problemas causados pela falta da vitamina, muitas pessoas se questionam sobre a forma de reposição do nutriente no organismo. De acordo com Lopes, a vitamina D também está presente em alimentos como a carne, peixes, ovos e laticínios, mas, para alcançar a quantidade diária suficiente, seria necessário ingerir alta quantidade deles, o que pode ser contornado com outras alternativas. “Com relação à suplementação, hoje isso é feito com mais tranquilidade, temos fórmulas em farmácias e manipulação de acordo com a necessidade, dependendo do tipo de deficiência e quadro do paciente, sendo uma maneira eficiente para a reposição. Outra forma que pode auxiliar é em relação à atividade [física], em que o próprio impacto pode ajudar a fixar a vitamina D no corpo”.
Mas, ainda com todas as opções acima, a profissional destaca que a forma mais eficiente para a reposição da referida vitamina continua sendo o Sol. De acordo com Lopes, em geral, a recomendação para quem tiver a pele mais clara é de 15 a 20 minutos de exposição, sem protetor solar, sendo que o período ideal é o da manhã, até às 10h. “Mesmo com uma intensidade menor dos raios, é interessante esse horário para evitar os riscos da exposição excessiva. Para pessoas de pele morena ou negra, o ideal é que seja de 30 minutos a uma hora, para facilitar o processo de produção da vitamina”, revela.
Exposição ao sol da manhã, até 10h, é a forma mais eficiente de reposição de vitamina D
Freepik
Para além das vantagens já relacionadas ao organismo, a nutricionista destaca a importância dessa vitamina no momento em que vivemos, podendo atuar como um complemento no fortalecimento da imunidade. “Devemos pensar nela associada à vitamina C, ômega 3 e zinco, assim temos um composto muito interessante para desenvolver essa função. Não evita a contaminação, mas vai fortalecer nosso organismo, podendo diminuir as consequências”, finaliza.

Sobre o Sistema Hapvida

Com cerca de 6,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como o maior sistema de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, América, Promed e Ame, RN Saúde, além da operadora Hapvida. Atua com mais de 30 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 39 hospitais, 194 clínicas médicas, 42 prontos atendimentos, 177 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.