Governo de SP prorroga quarentena por coronavírus até dia 22 de abril

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, anunciou nesta segunda-feira (6) a prorrogação da quarentena por mais 15 dias. Inicialmente o período de paralisação estava previsto do dia 24 de março até a terça-feira (7). A medida tem como objetivo tentar frear o aumento de casos do novo coronavírus.

Os 645 municípios do Estado devem, pela Constituição, seguir as orientações do governo de São Paulo. “Os prefeitos e prefeitas devem exercer também, ao lado da Polícia, se houver desobediência. Nada será admitido, nenhuma aglomeração.”

O prefeito Bruno Covas ressaltou que a Prefeitura de São Paulo segue na mesma direção e tem a mesma posição do Estado. “Ficar em casa não é questão de higiene, mas sim humanitária.”

De acordo com dados apresentados pelo diretor do Instituto Butantã, se nenhuma medida fosse adotada, o Estado de São Paulo chegaria ao dia 13 de abril com 150 mil casos e aproximadamente 5 mil óbitos.

Doria destacou que há consenso das autoridades médicas brasileiras e da OMS em manter o isolamento. “Depois de salvar vidas, vamos salvar a economia.”

Ele reforçou o apoio dos ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; da Economia, Paulo Guedes; da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, além do vice-presidente da República Hamilton Mourão na adoção da medida.

David Uip retorna ao trabalho

O infectologista David Uip, coordenador do centro de contingencia em combate ao covid-19, relatou uma semana de extremo sofrimento ao qual teve um sentimento muito angustiante após ser diagnosticado com o novo coronavírus. Ele retornou ao trabalhos nesta segunda-feira.

“Eu venci a quarentena e digo que não é fácil ficar isolado. Eu tive que me reinventar. Criar um David novo ,seguramente mais humilde e sabendo os limites da vida. Não é brincadeira. Quem está subestimando, eu desejo ardentemente que não adoeça. É um sofrimento muito grande.”

*Mais informações em instantes