Guedes sugere ‘passaporte da imunidade’ para retomar economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu que o Brasil adote o “passaporte da imunidade” para que a economia volte a girar após a fase de isolamento imposta pela pandemia de coronavírus.

A ideia consiste em testar pessoas que já pegaram o vírus para saber se elas possuem resistência à doença e podem voltar a trabalhar.

Em videoconferência com empresários do setor varejista neste sábado (4), Guedes disse que negocia com um parceiro do Reino Unido a implementação da medida. Para ele, seria possível testar 40 milhões de pessoas por mês.

Segundo o ministro, a proposta já foi encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro e aos ministros Walter Souza Braga Netto, da Casa Civil, e Luiz Henrique Mandetta, da Saúde.

Durante a conversa, Guedes disse, também, em resposta a um dos empresários, que a antecipação dos feriados para o período de quarentena foi autorizada pelo governo federal.

O titular da Economia defendeu, ainda, que os líderes varejistas façam renegociações durante o período de crise, mas pediu que não deixem de efetuar os pagamentos.

Também no sábado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, demonstrou preocupação semelhante. Em transmissão ao vivo, ele pediu uma ação conjunta das companhias para evitar que pagamentos deixem de ser feitos.

Campos Neto destacou que esse é um momento de união e rebateu críticas de que o Brasil estaria atrasado em relação aos demais países na condução econômica da crise.

Ele afirmou que o país está aprendendo a viver em um estado de guerra é que é importante que governo federal, estados e municípios estejam alinhados.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini