Hospital João XXIII, em BH, aciona plano para atender vítimas de explosão no Acre

O hospital é referência em atendimento de queimados e pode receber vítimas de Cruzeiro do Sul (AC); em 2017, unidade recebeu várias vítimas queimadas do ataque à creche Gente Inocente, em Janaúba, no Norte do Estado.

Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo
Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte — Foto: Reprodução

O Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, se prepara para a possibilidade de atender vítimas da explosão de uma embarcação no Acre.

Dezessete pessoas ficaram feridas na última sexta-feira (7) após um barco explodir no Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, naquele estado. Uma das feridas, Simone Souza Rocha, de 24 anos, não resistiu às queimaduras e morreu na tarde deste domingo (9). Nesta segunda-feira (10), seis vítimas continuavam internadas com queimaduras.

De acordo com o diretor assistencial da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Marcelo Lopes Ribeiro, o Plano de Atendimento de Múltiplas Vítimas foi acionado no João XXIII, hospital referência nacional em atendimento de queimados.

Segundo o médico, o acionamento do plano significa fazer um estudo do hospital para preparar o atendimento de vários queimados ao mesmo tempo.

Embarcação explode no Acre — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre
Embarcação explode no Acre — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre

Marcelo Lopes disse que a equipe se colocou à disposição para atender vítimas do Acre após serem acionados pela Sociedade Brasileira de Queimados. A Secretaria de Saúde do Acre também entrou em contato com o médico para um possível envio de pacientes para Belo Horizonte. O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, também colocou o atendimento do Hospital João XXIII à disposição.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Acre, além de Belo Horizonte, os pacientes queimados podem ser levados também para Goiânia e Brasília.

Em outubro de 2017, o Hospital João XXIII recebeu várias vítimas do incêndio na creche Gente Inocente, em Janaúba, no Norte de Minas Gerais. O vigia Damião Soares Santos ateou fogo no local, onde trabalhava, e morreu no mesmo dia.

Além do vigia, 13 pessoas morreram no ataque, sendo 10 crianças e três professoras. Marley Simone Lima Antunes, de 43 anos, era professora da creche e foi a última paciente a deixar o Hospital João XXIII, quatro meses após o ataque. Ela voltou para Janaúba no dia 16 de fevereiro de 2018, e seguiu direto para o Hospital Regional da cidade.

Cartazes e flores são deixados na porta do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, para os feridos no ataque a creche de Janaúba — Foto: Thaís Pimentel/G1

Cartazes e flores são deixados na porta do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, para os feridos no ataque a creche de Janaúba — Foto: Thaís Pimentel/G1