Japão ‘se rende’ e declara estado de emergência nacional por coronavírus

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, declarou estado de emergência nacional nesta quinta-feira (16) depois de evitá-las até recentemente. Tal fato possibilita que o país adote novas medidas de restrição em função da pandemia do coronavírus

Até então, o estado de emergência estava em vigor apenas em Tóquio e outras regiões econômicas importantes do país.

Durante coletiva de imprensa, Abe disse que pretende apresentar um projeto de lei para a distribuição de uma soma equivalente a quase US$ 1.000 para cada habitante no Japão, como forma de compensar o impacto das novas restrições, desistindo de um plano anterior que previa repasses para somente algumas famílias em dificuldades.

Durante a maior parte do mês passado, lojas, restaurantes e escritórios no Japão ficaram abertos de modo geral, e um fim de semana estendido, entre os dias 20 e 22 de março, parece ter contribuído para um aumento no número de infecções pela Covid-19. Na ocasião, muitas pessoas saíram às ruas para observar a florada das cerejeiras.

O número de casos no Japão tem dobrado a cada oito dias e, nesta quinta-feira, ultrapassou 9.000, embora a contagem possa ter sido influenciada pela aceleração de testes realizados. Ontem, o total de mortos no país teve acréscimo de 17, o maior em um único dia, elevando os óbitos acumulados a 136.

“Precisamos fazer o que for necessário para reduzir contatos entre pessoas em pelo menos 70% e, preferencialmente, 80%”, disse Abe, apelando à população que cancele planos de viagem.

O estado de emergência vai vigorar até pelo menos 6 de maio, incluindo o período de feriados da chamada “semana dourada”, quando muitas pessoas costumam viajar de trem ou avião pelo país

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão poderá se contrair a um ritmo anualizado de 22% no trimestre atual, segundo cálculo de economistas do UBS.

*Com informações do Estadão Conteúdo