Justiça decide que mineradoras devem manter indenização às vítimas da tragédia de Mariana

Samarco, Vale e BHP Billiton entraram com um recurso para que a verba destinada aos atingidos fosse restituída para as empresas.

Desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiram nesta terça-feira (11) que a Samarco e suas controladoras devem manter a indenização às vítimas do rompimento da barragem em Mariana, na Região Central do estado.

A audiência foi na 2ª Câmara do TJMG. As mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton entraram com um recurso para que a verba destinada aos atingidos fosse restituída para as empresas.

O documento que prevê a reparação integral das vítimas do rompimento da Barragem de Fundão foi feito por um grupo de especialistas com a ajuda dos próprios atingidos.

Vista aérea do distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, após o rompimento de barragens de rejeitos da mineradora Samarco  — Foto: Ricardo Moraes/Reuters
Vista aérea do distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, após o rompimento de barragens de rejeitos da mineradora Samarco — Foto: Ricardo Moraes/Reuters

A estrutura se rompeu em novembro de 2015, 19 pessoas morreram. A lama destruiu os distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo fez estragos em mais de 40 cidades em Minas Gerais e do Espírito Santo.

Cerca de 60 moradores das regiões mais atingidas pela tragédia acompanharam a audiência. A Samarco e a Vale informaram que ainda não foram notificadas sobre a decisão.