Mandetta: ‘Primeiro trabalho científico sobre cloroquina mostra boas aplicações’

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto nesta quinta-feira (2) que o primeiro estudo científico sobre a hidroxicloroquina “mostrou algumas boas aplicações” administrada aos pacientes positivos para Covid-19. O trabalho foi publicado no The New England Journal of Medicine (NEJM).

De acordo com Mandetta, o estudo não passou por revisão e pode não manter a mesma performance, caso seja confrontados com outros estudos da área, mas já revela “um caminho” para o tratamento da Covid-19.

“A ciência começa a achar o seu caminho. É um estudo com um grupo pequeno de 62 casos, com 62 pacientes, mas já se revela um caminho, um horizonte”, afirmou.

Ele ainda informou que na noite desta quinta deve se reunir por videoconferência com o comitê de especialistas do Ministério da Saúde e o Conselho Federal de Medicina (CFM) para tratar sobre o estudo.

“Vamos vendo passo a passo com segurança e sem achismos. Iremos pela ciência e gradativamente encontraremos as melhores soluções”, explicou.

A cloroquina e a hidroxicloroquina vem sendo defendida pelo presidente Jair Bolsonaro como um dos tratamentos que podem apresentar resultados no combate ao novo coronavírus. Os estudos, no entanto, como explicou o ministro da Saúde, ainda são iniciais.

Indicadas para pacientes em tratamento de lúpus e artrite, a cloroquina poderá ser usada no tratamento dos casos graves de Covid-19 como uma “alternativa terapêutica”, já havia informado o Ministério da Saúde em coletivas anteriores.