Ministério da Saúde reafirma a necessidade de manter isolamento

O ministério da Saúde mantém a previsão de pico do coronavírus no país entre o fim de abril e início de maio. Por isso a recomendação é que a população mantenha as medidas de contenção também durante o feriado.

O país já tem, ao menos, 17.857 casos confirmados de coronavírus que deixaram um saldo de 941 mortes com taxa de letalidade de 5,3%. O número de casos cresceu 12 por cento nas ultimas 24 horas enquanto que o de mortes teve um incremento de 18% no total.

A região com a maior incidência da doença é em Fortaleza que tem 43,9 casos para cada grupo de 100 mil habitantes, seguida de São paulo e Manaus.

Como tem sido constatado, não só no Brasil, 78% por cento das mortes são em pessoas com mais de 60 anos. Mas existem 150 casos, por exemplo, em pessoa que tem entre 40 a 59 anos. Levando em consideração os dados de mortalidade : a Asma e a obesidade são os maiores fatores de risco para pessoas com menos de 60 anos.

O ministério mantém a previsão de que o pico da doença no Brasil deverá ocorrer entre o final de abril e início de maio. Por isso o secretário de vigilância em saúde, Wanderson Oliveira pede que as medidas de contenção não sejam abandonadas durante o feriado.

Isolamento

Existe uma preocupação grande com relação ao relaxamento com as medidas de contenção em várias capitais brasileiras. Em Brasília, o movimento nas ruas tem aumentado. Já em São Paulo, nessa semana menos de 50% da população se mantinha em quarentena, voltando a registrar inclusive congestionamentos. Foram 14 km de lentidão nas principais saídas da cidade.

O governador de São Paulo, João Doria, ameaça inclusive prender quem violar as regras de quarentena. Ele explicou que o governo vai monitorar a situação agora no fim de semana e poderá adotar medidas mais duras se as pessoas insistirem em fazer aglomerações.

A avaliação inclusive dentro do governo é que as críticas do presidente Jair Bolsonaro às medidas de contenção têm incentivado que as pessoas relaxem com o isolamento. O próprio presidente lembrou que decisão do Supremo Tribunal Federal já deixou bem claro quem é responsável por definir medidas de contenção.

Medidas

Segundo o secretário executivo do ministério da Saúde, João Gabardo, o Brasil já distribuiu cerca de 500 mil testes rápidos para diagnóstico da doença. Além dos testes rápidos também foram distribuídos outros 150 mil testes. De acordo com ele, o governo também está cadastrando empresas brasileiras que possam fornecer máquinas e equipamentos ao ministério.

O governo prepara também a logística para buscar na China uma encomenda de 240 milhões de máscaras. A estimativa do ministério do ministério da infraestrutura é de que sejam necessários 40 voos para trazer ao Brasil 960 toneladas de equipamentos.

O governo trata a operação como se fosse de guerra diante do tamanho do planejamento. Será necessário buscar empresas para fazer o voo, garantir autorização para pousos para reabastecimento e a ideia é tentar também parcerias com a iniciativa privada para tentar garantir ajuda para o pagamento dos fretes.

Um carregamento que chegaria nesta sexta-feira (10) no Brasil, com equipamentos de proteção, ficou para a semana que vem.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin