Ministério Público do Trabalho apura se funcionários da Vale atuam na busca por vítimas em Brumadinho

O Corpo de Bombeiros e a Vale confirmaram que empregados da mineradora trabalham na área de resgate, mas ambos afirmaram que eles não têm contato com o resgate de corpos.

MP do Trabalho investiga se funcionários da Vale ajudam nas buscas em Brumadinho
MP do Trabalho investiga se funcionários da Vale ajudam nas buscas em Brumadinho

O Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais está investigando se funcionários sobreviventes da Vale estão ajudando nas buscas por vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho. A denúncia foi publicada em uma reportagem do jornal O Tempo desta quarta-feira (12).

De acordo com o jornal, representantes dos funcionários da Vale fizeram a denúncia ao Ministério Público do Trabalho. A mineradora é dona da Mina Córrego do Feijão, onde a barragem B1 se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019. Até o momento, 246 corpos já foram identificados e outros 24 aguardam identificação ou ainda não foram encontrados.

O Sindicato Metabase, que representa os funcionários, denúncia que, além de serem sobreviventes da tragédia que matou vários colegas, eles ainda estão em condições de trabalho desgastantes, se deparando com partes de corpos.

O Corpo de Bombeiros confirmou a atuação de funcionários da Vale na área de resgate. Mas disse que eles fazem a retirada dos rejeitos com máquinas e equipamentos. Esse procedimento seria necessário para o avanço das buscas.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, quando um corpo é encontrado, os trabalhadores da mineradora são retirados do local.

A Vale confirmou a presenta de empregados na área, mas informou que eles não têm qualquer envolvimento com o trabalho de resgate dos corpos.

Cão farejador é usado por bombeiros na busca por vítimas da lama da barragem estourada em Brumadinho — Foto: Mauro Pimentel/AFP
Cão farejador é usado por bombeiros na busca por vítimas da lama da barragem estourada em Brumadinho — Foto: Mauro Pimentel/AFP