Mulher que denunciou Cazares o acusa de agressão, roubo e abuso sexual em entrevista em BH

O meia do Atlético-MG Juan Cazares foi denunciado por agressão e estupro por duas mulheres na última segunda-feira; à polícia, ele negou as acusações.

Juan Cazares, jogador do Atlético-MG, após depoimento sobre denúncia de agressão contra ele — Foto: Reprodução/TV Globo
Juan Cazares, jogador do Atlético-MG, após depoimento sobre denúncia de agressão contra ele — Foto: Reprodução/TV Globo

Uma das duas mulheres que acusam o meia do Atlético-MG Juan Cazares de agressão reafirmou, em entrevista nesta quinta-feira (12) para a Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, que sofreu agressões, abuso sexual e que foi roubada pelo jogador.

A entrevista à Rádio Itatiaia foi em Belo Horizonte, gravada nesta quarta (11). As mulheres negaram ser garotas de programas e disseram que foram convidadas para um encontro.

O jogador foi denunciado por uma empresária e por uma modelo na última segunda-feira (9). Elas disseram que foram convidadas por Cazares para a casa dele, em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de BH no fim de semana. O jogador chegou a ser ouvido também pela polícia, e também testemunhas.

À Polícia Civil, Cazares negou as agressões e o abuso sexual (leia abaixo).

Na entrevista, uma delas conta que a confusão começou na casa do jogador quando sumiram pertences e dinheiro delas. Ela afirmou que o jogador pegou a carteira dela sem seu conhecimento. Ela ainda diz que Cazares chegou a bater nas duas.

As mulheres negaram que a confusão na casa do jogador tenha começado por causa do uso de loló – uma substância entorpecente que pode ser feita em casa. Mas uma delas não quis responder se houve realmente uso do loló.

Do Instagram para a festa

Na entrevista, as duas tiveram as vozes distorcidas e pediram para não ser identificadas. Elas estavam acompanhadas de um advogado e do pai de uma delas. A mulher de 20 anos disse que conheceu o jogador pelo Instagram e começou a conversar com ele.

Mulheres denunciam jogador do Atlético-MG Juan Cazares de agressão sexual na Grande BH — Foto: Reprodução/TV Globo
Mulheres denunciam jogador do Atlético-MG Juan Cazares de agressão sexual na Grande BH — Foto: Reprodução/TV Globo

“A partir daí a gente começou a conversar. (…) Ele me convidou [para ir à festa na casa dele], inclusive todas as conversas que a gente teve foi (sic) me chamando. (…) Ele não mencionou [que seria uma festa]. Falou apenas que era uma resenha e que, se eu quisesse, poderia chamar uma amiga, que era tranquilo”, completou.

Ela disse na entrevista que a confusão começou mesmo quando viu que alguns de seus pertences tinha sumido.

“Inclusive minha carteira, com uma quantia considerável de dinheiro. A partir desse momento, falei com ele: ‘olha, sumiu (sic) algumas coisas da minha bolsa. Com isso, ele ficou um pouco exaltado e falou que ninguém lá queria me roubar, que a minha carteira estava com ele”, disse.

Ainda de acordo com esta mulher, uma amiga do Cazares viu a confusão e a agrediu.

“Parece que a amiga dele que estava lá na casa, uma menina, escutou, viu que a gente tava meio tenso um com o outro e aí ela já veio me agredindo. Já veio todo mundo para cima de mim… soco, chute, tapa”, disse.

“A partir daí ele (Cazares) não prestou socorro algum, não ajudou a mim (sic) e a minha amiga hora alguma. Minha amiga veio para me defender. Eu e ela começamos a apanhar (por) todo mundo da casa. Na hora que o Cazares viu que ‘tava’ muito tensa a situação, ele chegou e jogou nós duas no chão. Após isso, ele machucou, nossa cabeça machucou… foi aí que começou, entendeu?”, disse.

Estupro

A mulher contou ainda como teria acontecido uma tentativa de estupro por parte do jogador.

“Ele começou a fazer umas chantagens comigo. Primeiro, ele me enviou a foto do meu sapato e pediu para que eu fosse buscar lá em cima, onde ele ‘tava’. Eu não quis ir”, contou.

“Ele desceu para tentar negociar uma situação, eu não quis. Eu estava muito chocada e abalada com tudo. Eu não quis negociar nada. Ele pegou meu celular e correu com ele pra cima, lá na casa dele. Entrei em luta com o amigo dele. O amigo começou a me agredir, me tacou no chão. Teve um momento que consegui escapar dele e fui atrás do Cazares. Na hora que eu cheguei e olhei para o Cazares, que vi onde ele estava e consegui localizar ele, ele estava dentro de um quartinho com o meu celular. Como se diz: vem cá buscar. Aí eu fui lá, tentei pegar o celular da mão dele, ele me puxou para dentro desse quartinho e trancou. Nisso ele começou a apertar meu seio, a passar a mão na minha parte íntima. Tentou fazer isso até o tempo deu (sic) conseguir destrancar a porta e conseguir sair do quartinho. Aí, uns cinco minutos depois a polícia já tinha chegado”, detalhou.

A outra mulher, de 24 anos, confirmou tudo o que foi dito pela amiga.

O que diz a defesa de Cazares

Meia do Atlético Juan Cazares posta mensagem em rede social após ser denunciado por duas mulheres de agressão — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Meia do Atlético Juan Cazares posta mensagem em rede social após ser denunciado por duas mulheres de agressão — Foto: Reprodução/Redes Sociais

De acordo com a entrevista da Rádio Itatiaia, a advogada que defende o jogador disse que enviaria uma nota sobre o assunto e um posicionamento da defesa sobre as declarações das mulheres, mas não cumpriu o combinado.

À Polícia Civil, Cazares negou as agressões e o abuso sexual. Na terça-feira (10), o jogador postou em uma rede social uma mensagem em que aparece rindo e dizendo que estava “tudo bem”.

À Itatiaia, o delegado Marcelo Mandel, à frente do caso, disse que não fez a prisão de Cazares em flagrante porque faltavam elementos consistentes que possam comprovar o abuso sexual e as agressões.

Um exame de corpo de delito verificou que não foram encontrados indícios de conjunção carnal. Mas a legislação brasileira considera estupro atos feito sem a vontade da vítima, mesmo que não haja o ato em si.