Papa faz procissão da Via Crucis à luz de tochas e em praça vazia

A procissão da Sexta-Feira Santa, tradicionalmente presidida pelo Papa Francisco no Coliseu de Roma, se deu em uma quase vazia Praça São Pedro, no Vaticano. À luz de tochas, médicos e enfermeiros juntaram-se ao pontífice para a celebração da Via Crucis, que evoca Jesus sofrendo a caminho de ser crucificado.

Pessoas foram proibidas de assistir à procissão por causa da quarentena instituída para frear a contaminação pelo coronavírus na Itália, que já matou mais de 18 mil pessoas.

O Papa assistiu à procissão dos degraus do lado de fora da Basílica. Circularam em torno do obelisco central da praça um policial uniformizado, um capelão da prisão de Pádua e um ex-detento.

Mais cedo, em um culto feito dentro da Basílica, o pontífice ficou por alguns minutos deitado no chão, para demonstrar humilde obediência. Além disso, afirmou que a pandemia “alertou as pessoas para o perigo de se acharem poderosas”.