‘Para mim, este capítulo se encerra hoje’, diz Marinho após depoimento

“Para mim, este capítulo se encerra hoje com esse depoimento”, afirmou o empresário Paulo Marinho nesta terça-feira (26), após mais um interrogatório na Polícia Federal sobre as denúncias feitas ao senador Flávio Bolsonaro. “Não tenho mais nada a acrescentar na narrativa que eu dei desde o primeiro dia que vim na PF e ao MPF. Esse capítulo é página virada, não tenho inimigos, não trabalho com gabinete do ódio. Minha missão como cidadão está cumprida”, completou, acrescentando que agora pretende se dedicar a seu “projeto eleitoral” no Rio de Janeiro.

O empresário confirmou, ainda, que vai entregar seu celular nesta quinta (28) para perícia na PF. Hoje, Marinho informou que apresentou “provas materiais”, mas que não poderia revelar quais, por causa do sigilo. “Autorizei que os delegados tenham acesso à nuvem para buscar todas as informações que não tenham neste momento no meu aparelho.”

“Não me sinto intimidado. Quando entrei nesta situação, sabia que isso ia acontecer, mas claro que existe ameaça”, completou.

Denúncia

Paulo Marinho denunciou ter acontecido, em 2018, o vazamento de uma operação da Lava Jato no Rio de Janeiro, a Furna da Onça, para beneficiar o então deputado estadual Flávio Bolsonaro — cujo gabinete foi alvo daquela investigação.

A suspeita já tinha sido levantada em 2018 e o caso chegou a ser investigado, mas foi arquivado por falta de provas. Nesta segunda, Celso de Mello colocou sob sigilo os depoimentos do empresário e do chefe de gabinete de Flávio. O sigilo vale também para os próximos passos da investigação a partir desses depoimentos.