Pimentel é ouvido em processo que responde por uso de notas frias, em 2010

O ex-governador de Minas Gerais é interrogado no Fórum Lafayette na tarde desta sexta-feira (28)

Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) — Foto: Reprodução/TV Globo
Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) — Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) chegou ao Fórum Lafayette nesta sexta-feira (28) à tarde para um interrogatório sobre o uso de caixa 2 na campanha ao Senado, em 2010. O interrogatório é um desdobramento da operação Acrônimo.

Fernando Pimentel pediu para entrar no Fórum de forma discreta, que não fosse pela principal e foi atendido. Ele chegou por volta das 13h e deixou o local por volta das 14h.

Segundo o Ministério Público, o ex-governador é o único réu no processo. A esposa dele, Carolina Pimentel, que chegou a ser investigada por supostamente ser sócia-oculta da empresa Pepper Comunicação, não está no processo.

Pimentel é acusado de ter feito caixa 2 usando notas frias na campanha pela agência de publicidade, que é de Brasília. Segundo o Ministério Público, a proprietária da agência já admitiu no processo que não prestou o serviço que consta nas notas.

Esta é a última etapa antes das alegações finais. Durante interrogatório, ele tem o direito de permanecer calado.

Todas as testemunhas de acusação já foram ouvidas. Não foram arroladas testemunhas de defesa.