‘Quarentena inteligente’ em SP pode salvar milhares de empregos, dizem empresários e prefeitos

Com a loja fechada há dois meses em São Paulo, o Abelardo Xavier recorre à internet para tentar reduzir os prejuízos. Ele tem feito de tudo para manter os funcionários, mas sabe que demissões serão inevitáveis se os clientes não voltarem.

Um plano de reabertura gradual das atividades será apresentado nesta quarta-feira (27) pelo governo do Estado.

Para o presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping, Nabil Sahyoun, a medida é fundamental para o setor.

A chamada quarentena inteligente começa a valer na segunda-feira (1º) e vai levar em conta índices mínimos de distanciamento social e número suficiente de leitos de UTI.

A retomada atende, sobretudo, a um apelo de prefeitos e empresários do interior, apesar do avanço cada vez mais preocupante da covid-19 nesses municípios. O prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, apoia a decisão.

Na segunda-feira (25), último dia do feriado prolongado, a taxa de isolamento social no estado foi de 51%. Nesse período, o movimento nas rodovias caiu 4,2%.

Mesmo com o isolamento distante do ideal, o governador João Doria reafirmou ontem que o bloqueio total, o chamado lockdown, não será decretado por enquanto.

Atualização dos casos

Nesta terça-feira, 200 respiradores vindos da Turquia e outros 133 da China chegaram ao Estado. Inicialmente, três mil equipamentos haviam sido comprados de uma fabricante chinesa, mas o prazo de entrega não foi cumprido.

O pedido acabou sendo reduzido para 1.280 respiradores a serem entregues até junho.

Com mais de 86 mil casos confirmados da doença, São Paulo superou a China em número de infectados. Apenas no Estado, 203 mortes foram registradas só na terça. Ao todo, 6.423 pessoas já morreram.

*Com informações da repórter Letícia Santini