Rússia se oferece para receber competições esportivas em troca de anulação de punição

Punida pela Agência Mundial Antidoping (Wada) em dezembro de 2019, a Rússia tenta barganhar a permissão de retorno de seus atletas às competições internacionais. O ministro do Esporte russo, Oleg Matitsin, levantou nesta sexta-feira a possibilidade do país sediar algumas das competições canceladas pela pandemia do novo coronavírus em troca da retirada das sanções.

“Os dirigentes do Comitê Olímpico Internacional, a Agência Mundial Antidoping (Wada) devem entender que vivemos agora em condições completamente diferentes”, disse Matitsin. “É necessário abrir uma nova página e entender que o importante agora é estarmos juntos”.

Matitsin reiterou que acredita na união em temos de pandemia, e pediu cooperação entre os países. “É preciso cooperar com o esporte internacional. Nos últimos dez anos, nenhum país organizou tantas competições internacionais ao mesmo nível que a Rússia. É preciso levar esse argumento em consideração”.

Para ele, os juízes que analisam o recurso da Rússia devem avaliar a possibilidade levantada pelo país. A punição tem validade de quatro anos, e impediria que os atletas competissem pela bandeira russa em Tóquio 2020 e nos Jogos de Inverno de Pequim 2022. A solução seria disputar como “neutros”.

“Eles devem entender que agora vivemos em outra realidade. Existem prioridades e questões secundárias, a prioridade é o futuro do movimento olímpico e a consolidação da comunidade esportiva. A Rússia sempre foi e será um parceiro importante”, insistiu.

O país se coloca à disposição das federações internacionais como local para diferentes torneio, principalmente os classificatórios para os Jogos de Tóquio, que foram transferidos para 2021. A punição impede também que o país organize competições internacionais.

* Com EFE