Valor será destinado à saúde e à assistência social.

Bento Rodrigues é uma das comunidades destruídas pelo rompimento da barragem de Fundão — Foto: Raquel Freitas/G1

Bento Rodrigues é uma das comunidades destruídas pelo rompimento da barragem de Fundão — Foto: Raquel Freitas

Um acordo firmado entre a Prefeitura de Mariana, na Região Central de Minas Gerais, e Samarco, Vale, BHP Billiton e Fundação Renova prevê que a mineradora repasse R$ 11,4 milhões por ano à cidade, de acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

No dia 5 de novembro de 2015, a barragem de Fundão, pertencente à mineradora Samarco, rompeu-se, provocando a morte de 19 pessoas e devastando o Rio Doce.

Do total de R$ 11,4 milhões, R$ 6,4 milhões serão investidos na saúde e R$ 5 milhões, na assistência social.

De acordo com o MPMG, a demanda por esses serviços aumentou desde o rompimento da barragem, sobrecarregando os cofres do município.

Os repasses devem ocorrer até três anos depois do reassentamento dos moradores atingidos, que até hoje aguardam as novas casas.