São Paulo terá total de leitos ocupados ‘rapidamente’, diz secretário da saúde

O secretário municipal da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que, em apenas uma semana, 60% dos 1.662 leitos de baixa e média complexidade criados na cidade para pacientes com o coronavírus foram ocupados.

“Mas até sair no jornal esse número já terá aumentado. Ou as pessoas ficam em casa ou não haverá leitos para elas em uma semana. Os dados mostram que tudo será ocupado muito rapidamente. Seguramente a gente vai ocupar em um curto espaço de tempo”, afirmou Aparecido.

No sábado (11), o hospital de campanha montado no Anhembi, na zona norte de São Paulo, foi inaugurado e recebeu os primeiros oito pacientes. Neste primeiro momento, o Anhembi conta com 326 leitos, mas terá capacidade ara receber 1,8 mil pessoas.

Além do Anhembi, a Prefeitura e o Estado montaram um hospital de campanha no Pacaembu, que já recebeu 47 pacientes. Um outro hospital será montado no Ginásio do Ibirapuera, na zona sul da capital.

O Estado de São Paulo acumula no Brasil o maior número de mortes relacionadas à pandemia do novo coronavírus. Das 1.124 mortes confirmadas no Brasil em decorrência da covid-19, 560 ocorreram no Estado de São Paulo, sendo a maioria delas na capital.

Exames

O número de mortes na capital paulista pode ser bem maior, já que há uma longa fila de testes à espera de resultado. De acordo com o secretário, a Prefeitura aguarda resultados dos exames de cerca de 700 pessoas que morreram por síndrome respiratória aguda.

Ainda segundo o secretário, a doença está se disseminando nas periferias, localizadas nos extremos das zonas leste, sul e norte. “Está indo em uma velocidade muito grande, maior neste momento na periferia do que no restante da cidade”, explicou.

*Com informações do Estadão Conteúdo