SP entregará material pedagógico bimestral para mais de 1 milhão de alunos, explica secretário da Educação

A Prefeitura de São Paulo irá distribuir materiais pedagógicos para mais de 1 milhão de alunos da rede municipal. O secretário da Educação da capital paulista, Bruno Caetano, explicou ao Jornal da Manhã desta quinta-feira (9) que a iniciativa abrange estudantes da creche até o ensino médico.

Os alunos receberão os materiais pelos correios gratuitamente. Para isso, os pais ou responsáveis pelos estudantes devem atualizar o endereço residencial no site da secretaria de educação até o dia 10 de abril, já que na próxima semana os livros serão encaminhados.

Segundo Bruno, a estratégia de fazer o envio pelos correios visa garantir que todos recebam os mesmos materiais, além de evitar possíveis aglomerações que poderiam acontecer caso a retirada acontecesse nas escolas.

Para cada ano de ensino foi preparado um material didático que inclui orientações para os pais e atividades referentes a dois meses de aulas. Ou seja, caso a pandemia do coronavírus se estenda por mais 60 dias, os alunos terão conteúdos pedagógicos para estudo diário mesmo com a suspensão das aulas.

“O material é muito auto explicativo, na parte inicial tem o passo a passo para que as famílias possam orientar as atividades, que devem consumir duas horas diárias dos alunos e abrange conteúdos para dois meses de aulas.”

De acordo com o secretário, o material do ensino médico também contempla atividades para a preparação dos estudantes para o Enem e para outros vestibulares que acontecem no fim do ano.

Plataforma Online

Além disso, a secretaria de educação municipal também irá disponibilizar um aplicativo, que contempla uma plataforma digital, para que os alunos possam tirar dúvidas e até mesmo interagir com os professores, se necessário.

Bruno Caetano explica que plataforma digital será uma complementação didática, mas que os alunos sem acesso à internet não serão prejudicados. “Teremos também a plataforma pela internet, mas queremos garantir que todos tenham acesso aos materiais. Por isso, ninguém será prejudicado. ”

Para Bruno, o verdadeiro prejuízo à educação começa na segunda-feira, já que a suspensão das aulas contando como férias dos alunos. A partir de segunda, de acordo com ele, “qualquer dia parado será efetivamente perdido”.

Assim, para que os efeitos sejam reduzidos, é importante que os estudantes tenham acesso aos materiais, que serão, posteriormente, usados pelos professores para propor recuperações necessárias e reforço escolar.

“É tão importante que eles recebem o material para que, quando retomar as aulas, os professores possam avaliar o que os alunos aprenderam durante o período e planejar atividades a partir da necessidade de cada um dos nossos 1 milhão de alunos”, afirmou o secretário que apela para que os pais façam a atualização do endereço residencial “o mais rápido possível”.