Uberlândia registra saldo negativo de geração de empregos pelo 3º mês seguido em 2020


Dados relativos a maio foram divulgados pelo Ministério da Economia, que também atualizou números dos meses anteriores. Comércio foi o setor que mais demitiu; veja balanço. Comércio foi o setor que mais fechou postos com carteira assinada em maio
Marco Crepaldi/Prefeitura de Uberlândia/Divulgação
Uberlândia registrou saldo negativo de geração de emprego pelo terceiro mês seguido. A informação foi divulgada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia nesta segunda-feira (29).
A cidade fechou o mês de maio com saldo de -331, resultado da média de 6.551 contratações e 6.882 demissões. O setor que mais demitiu foi o comércio, enquanto o que mais contratou foi o de serviços (veja abaixo).
Em 2020, Uberlândia acumula 37.706 admissões e 42.045 desligamentos. Um saldo negativo de 4.339 entre janeiro e maio.
Em maio, o G1 mostrou que o Governo Federal havia divulgado pela primeira vez os dados do quadrimestre do município. Nesta nova atualização, os números apresentados, de janeiro a abril, foram reajustados pelo Caged. O resultado no período foram mais de quatro mil postos de trabalho fechados.
Veja abaixo os números atualizados mês a mês em 2020 na cidade.
Emprego mês a mês
De acordo com a atualização feita pelo Caged, em janeiro, Uberlândia contabilizou um saldo positivo de 196. O resultado se manteve em fevereiro, quando foram registradas 633 contratações a mais do que demissões.
Com a pandemia do novo coronavírus, que foi decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março, o município adotou restrições nas atividades econômicas, que exigiram a interrupção das atividades de vários setores, entre eles, parte do comércio.
Devido ao fechamento dos estabelecimentos, março foi o primeiro mês do ano com saldo negativo na geração de emprego em Uberlândia. A cidade perdeu 1.065 postos de trabalho.
No mês de abril, a situação se agravou e o município registrou novamente saldo negativo de 3.865 postos de trabalho. Foram 4.109 admissões e 7.974 desligamentos.
Já em maio, a cidade teve uma desaceleração nos desligamentos. Foram 6.551 contratações e 6.882 demissões, o que gerou saldo de -331 postos de trabalho perdidos no mês. Confira abaixo duas tabelas com mais informações atualizadas sobre Uberlândia:
Tabela 1
Na tabela abaixo os dados são referentes ao saldo final de cada mês, sendo ele positivo ou negativo.

Tabela 2
Nesta tabela, é contabilizada a somatória das contratações e demissões ao longo dos cinco meses de 2020. Ou seja, os números abaixo demonstram se, de um mês para o outro, houve saldo positivo ou negativo na geração de empregos, resultando no acumulado do ano.
Setores
Na primeira divulgação do ano, o Ministério da Economia não apresentou os números referentes aos setores por cidade, apenas dados estaduais e nacionais. Já na publicação desta segunda-feira, os dados municipais foram apresentados pela primeira vez.
Indústria e Serviços tiveram saldo positivo. Por outro lado, Agropecuária, Comércio e Construção tiveram mais demissões do que contratações.
Confira abaixo os números de admissões e desligamentos por setor no mês de maio em Uberlândia:
Setores em Uberlândia
Brasil
De acordo com o Caged, a economia brasileira fechou 331.901 vagas de trabalho com carteira assinada em maio.
Entre março e maio, durante a pandemia do coronavírus, foram fechadas 1,487 milhão de vagas formais.
Setores
Em maio, a agricultura foi o único setor com geração de postos de trabalho: foram 15.993. O setor de serviços foi o que mais fechou postos de trabalho.
Serviços: -143.479
Indústria geral: -96.912
Comércio: -88.739
Construção: -18.858
O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, comentou que os números de maio mostram uma reação do mercado de trabalho e que podem ser comemorados.
“É bom que se repita que qualquer emprego perdido não pode ser tido como algo positivo. Trabalhamos diariamente para que não tenha nenhum emprego a menos. No entanto, temos que deixar claro esse fator que nos parece auspicioso, que nos dá esperança, que é a reação clara do mercado de trabalho nesse mês de maio em comparação com o mês de abril”, afirmou.
Initial plugin text